Texto/Poema

Dor, Tempo & Vida

Há dores que ficam,

há dores que passam.

O tempo não cura,

apenas abranda,

aquilo que nos faz questionar

sobre o continuar.

E quando deres por ele,

estás a sorrir

e a olhar para o relógio.

Como o tempo passou

e a dor não curou

mas abrandou.

E as vezes tem de ser assim.

Abrandar o corpo,

abrandar o coração,

dar pausa na mente,

deixar de lado a pressão

e somente,

olhar-se ao espelho e agradecer.

Por tudo que venceu,

por tudo que conquistou,

por todas as lágrimas

que da alma derramou.

Só você sabe as suas guerras.

Orgulhe-se disso porque ainda teve oportunidade de ler este poema que muitos outros não tiveram.

Patricia Vila Nova

27 de Julho 2022

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s